História do Facebook: Fundador/Dono, mitos, verdades, erros, acertos - Arena Marcas e Patentes
  • Registro de Marcas e Patentes.

História do Facebook: Fundador/Dono, mitos, verdades, erros, acertos

História do Facebook

Conhecer a história de uma grande marca pode ser fundamental para alguém que deseja começar um negócio, uma vez que muitas delas são inspiradoras, começam com pouco e passam por dificuldades até alcançar o patamar que ocupam. São diversos os exemplos de marcas mundialmente famosas que começaram na garagem da casa dos fundadores, com a venda direta ou outras maneiras bem comuns. No quadro História das Marcas, vamos falar sobre a História do Facebook, sua origem, os primeiros passos e como se constituiu como a maior rede social do mundo, além das polêmica e mitos que a envolvem. 

Neste artigo você encontrará os seguintes tópicos:

  • História do Facebook: origem e primeiros passos;
  • História do Facebook: polêmicas, privacidade e a marca atual.

História do Facebook: origem e primeiros passos

A história do Facebook é daquelas que começam como uma brincadeira despretensiosa por um grupo de amigos na faculdade. Mark Zuckerberg, juntamente com três amigos (Eduardo Saverin, Chris Hughes e Dustin Moskovitz), idealizaram um website que foi o antecessor do que viria a ser a maior rede social do mundo.

Dos seus dormitórios de Harvard, universidade a qual frequentavam em 2003, criaram o Facemash, uma plataforma simples que colocava fotos de duas pessoas estudantes de Harvard para que as pessoas pudessem escolher qual era a mais bonita. O site não ficou muito tempo no ar e foi retirado pela universidade.

Mais tarde, houve outra tentativa. Em 2004, Zuckerberg começou a escrever o código de um outro site derivado do primeiro, chamado de “thefacebook”. Segundo ele, usou de inspiração o facemash para servir de base para o thefacebook e seu intuito era criar uma rede que pudesse conectar as pessoas de diferentes universidades.

Começou então um processo de cadastro via e-mail somente para as pessoas da Universidade de Harvard. Com um mês, de acordo com as fontes, mais da metade dos estudantes estava cadastrada. Paulatinamente, o plano de Zuckerberg e companhia começava a tomar forma, expandindo o Facebook para o restante das universidades dos Estados Unidos e do Canadá.

Já em 2005, o Facebook começou a sua expansão mundo à fora. O primeiro passo fora da América foi dado no Reino Unido, já contemplando cerca de 21 universidades espalhadas pelo território britânico. No final do ano, as universidades da Austrália e Nova Zelândia também foram incorporadas à rede. À época, era necessário um convite para que pudesse ter um perfil.

Foi então que, em 2006, o Facebook abriu as portas para que qualquer pessoa acima de 13 anos tivesse direito a criar uma conta. Foi um período de concorrência com o Orkut, que fizera bastante sucesso no Brasil, mas que não conseguia competir com o Facebook em outros mercados. 

Já em 2011, o Facebook se tornou o maior servidor de fotos online do mundo e em outubro desse mesmo ano atingiu uma marca de 350 milhões de usuários somente pelo celular, representando um terço do tráfego total da plataforma.

Um ano mais tarde, o Facebook abriu um pedido de oferta pública de ações, o chamado IPO, que permite a entrada de uma marca no mercado de ações na bolsa de valores. O resultado foi assustador. Esperava-se que o Facebook conseguisse levantar cerca de 5 bilhões de Dólares, mas a valorização da marca acabou batendo a casa dos 105 bilhões de dólares, tornando-se recordista no valor de mercado de uma companhia estreante.

História do Facebook: polêmicas, privacidade e a marca atual

História do Facebook Aplicativo

O Facebook nos últimos anos, com toda a sua grandeza, esteve sujeito a alguns processos relativos à privacidade de seus usuários. A acusação era que a empresa vendia os dados de acessos dos usuários, seus interesses, curtidas, interações, para empresas de capital privado. O problema é que nos termos e condições constava que os dados estariam completamente seguros e o usuário não correria o risco e ser exposto.

O processo não trouxe muitas dores de cabeça para Mark Zuckerberg, embora ele tenha sido obrigado a depor pelo caso. Por consequência, o Facebook ainda chegou a adquirir duas novas redes sociais para completar ainda mais o seu conglomerado de usuários ao redor do mundo. O Instagram foi a primeira rede a entrar para o grupo do Facebook e houve também uma tentativa de compra do Snapchat, porém sem sucesso.

Além disso, o Facebook tentou emplacar um aplicativo de mensagens instantâneas, o Messenger, que não fez tanto sucesso quanto se esperava. Em contrapartida, em alguns países, principalmente no Brasil, despontava a utilização do Whatsapp pela maior parte da população. Com isso, o Facebook ainda incorporou a rede de mensagens instantâneas por cerca de 22 bilhões de dólares. 

Atualmente, o Facebook se mantém como a maior rede social do mundo e figura entre as dez mais marcas mais valiosas do planeta.

Author: Registro de Marcas e Patentes

Nosso objetivo é garantir a segurança da sua marca. Com todos os processos legais necessários. Além disso, fiscalizar e encontrar possíveis casos de plágio e uso indevido da sua marca.

Deixe uma resposta