Reino monera - Arena Marcas e Patentes
  • Registro de Marcas e Patentes.

Reino monera


O reino monera é um dos reinos que classificam os seres vivos, sua principal característica é sua composição feita por procariontes, unicelulares, autótrofos ou heterótrofos. O reino monera está compreendido entre as bactérias e as cianobactérias, as algas azuis ou cianofíceas.

Os fósseis mais velhos já encontrados na natureza são de seres procariontes. Esses fósseis são de cianobactérias, que são presentes na Austrália, com cerca de 3,5 bilhões de anos e também de bactérias, localizadas na África do Sul, com uma idade de cerca de 3 bilhões e 100 milhões de anos.

Bactérias

reino monera seres
reino monera seres

As bactérias são microrganismos celulares que se encontram entre os mais simples, os menores e em maior quantidade em todo o planeta. A maioria das bactérias não chega medir mais que um micrômetro, que a milésima parte da medida do milímetro.

As bactérias são achadas em uma variedade enorme de ambientes, dos mais distintos, como no ar, na água doce e na água salgada do mar, no solo, na parte externa e na parte interna de outros organismos e também nos materiais que já se encontram em decomposição. Estes seres podem viver de maneira isolada, mas podem também fazer grupos de colônias nas formas mais variadas.

Cianobactérias

As cianobactérias são organismos unicelulares, que podem viver de maneira isolada ou podem viver em grupos e colônias. Estes seres medem só alguns micrômetros, por isso só podem ser enxergadas usando um microscópio.

Assim como as plantas, as cianobactérias realizam o processo de fotossíntese, porém a diferença é que a clorofila não fica disposta nos cloroplastos como no caso das plantas, mas fica livre pelo citoplasma, como outros pigmentos.

O formato das cianobactérias pode mudar entre os bastões, as esferas ou os filamentos. Elas podem ser achadas em solos úmidos, em água doce e na água salgada do mar. O surgimento das cianobactérias neste tipo de local se deve ao acúmulo de material orgânico nos mesmos, onde elas podem se proliferar de maneira rápida, realizando um fenômeno que recebe o nome de eutrofização.