A intolerância religiosa no Brasil - Arena Marcas e Patentes
  • Registro de Marcas e Patentes.

A intolerância religiosa no Brasil



Você sabia que só no Brasil é registrado um caso de Intolerância Religiosa a cada 15 horas?

O que significa intolerância religiosa?

A intolerância religiosa se caracteriza pela discriminação de grupo e pessoas, as quais possuem diferentes religiões na atualidade. Marcada por condutas agressivas, o ato data aproximadamente 1.486 relados de discriminação, entre 2015 e 2017, e os dados não envolvem o cenário real. Estima-se que as maiorias dos indivíduos que sofrem com o ato, preferem o anonimato.

O filósofo Nicolau Maquiavel, em uma das suas obras, disserta e questiona os preconceitos humanos. Segundo o filósofo, há mais raízes do que princípios nos preconceitos.

O preconceito é uma coisa em comum de todos os seres humanos. É inevitável não prejulgar não só o outro, mas também situações e eventos compartilhados em sociedade. O outro é organismo estranho no primeiro contato, assim como costumes, tradição e cultura de outras comunidades. Um exemplo disso é o primeiro contato do Ocidente com o Oriente – é inevitável o primeiro estranhamento, não só com a arquitetura, mas com o modo de vida e os costumes datados pela sociedade Oriental. O modo que as pessoas se vestem e convive uma com as outras também é um ponto de estranhamento um tanto que impossível de não se ter, ao menos no primeiro momento.

Cada vez mais o mundo se torna estereotipado e com a Globalização, e com a minimização dos espaços, isso passou a ser visto com mais evidência. O compartilhamento de informações, culturas e tradições foi fomentado pelos meios de comunicação e pela Internet. Com essa interação constante e com a disseminação da Internet pelo mundo, não só relacionar com o outro ficou mais fácil, mas também manifestar o ódio pelas redes sociais se tornou algo bastante banal na sociedade contemporânea.

O preconceito é uma coisa comum, mas ele passa a se tornar algo preocupante quando ele começa a ultrapassar o espaço do outro.

A intolerância religiosa no Brasil

Em uma pesquisa realizada pelo Ministério dos Direitos Humanos (MDH), entre 2015 e 2017, foi registrada uma denúncia a cada 15 horas relacionadas a casos de intolerância religiosa. Os dados são preocupantes e chamam a atenção para ocorrência que invadem os Direitos Humanos do outro, e ultrapassa limites não só Constitucionais, mas de integridade física e mental dos cidadãos brasileiros. O cenário é preocupante em ao menos oito estados do país, e em três deles preocupa por índices que ultrapassam agressões verbais, como tentativas em massa de homicídio e incendiários em templos e igrejas.

Com a propagação do uso de plataformas online, observa-se o uso das redes sociais e outras plataformas de interação, como portais de notícias e blogs, a disseminação de discursos de ódio.

É neste contexto que a intolerância religiosa ganha força e o Candomblé e a Umbanda são as religiões que mais sofrem com a disseminação de ódio.

Caminhos para combater a intolerância religiosa

É necessário por discussões e questionamento sobre o tema para que os números parem de crescer e que os Direitos Humanos seja um conceito amplo e o respeito a base comum de convivência entre os seres humanos.